Pós-graduação, especialização ou residência: qual fazer?

5 minutos para ler

Muitos médicos ficam com dúvida sobre o melhor caminho para conquistar um currículo competitivo. Afinal, o que seria melhor: pós-graduação stricto sensu, especialização ou residência?

Cada uma delas apresenta suas características distintas e as respectivas vantagens. A escolha deve depender dos seus objetivos profissionais e do seu perfil. Por essa razão, preparamos este post com as principais diferenças entre as opções. Boa leitura!

Qual a diferença entre pós-graduação stricto sensu, especialização e residência?

Todas as modalidades que explicaremos a seguir são consideradas pós-graduações em um sentido mais amplo. Então, após concluir qualquer uma delas, você poderá dizer que é pós-graduado. No entanto, é importante saber as diferenças entre elas, a fim de escolher a melhor para o seu perfil.

Pós-graduação stricto sensu

Esse tipo abrange os cursos de mestrado e doutorado, os quais, quando concluídos, conferem à pessoa o título de mestre e doutor respectivamente. Eles são essenciais para quem deseja seguir a carreira acadêmica, visto que são pré-requisitos para a admissão nos quadros docentes da maioria das universidades. Também, são imprescindíveis para quem deseja fazer pesquisas após a graduação.

No mercado de trabalho, eles podem ser úteis principalmente em processos seletivos. Neles, algumas instituições dão pontos adicionais pelos títulos nas etapas de análise de currículo. No entanto, por serem focados na pesquisa, não são tão interessantes para quem deseja algo mais focado para a prática clínica. Nesse caso, as melhores opções são as residências e as especializações.

Residências

Essa modalidade de pós-graduação é caracterizada por ser um grande treinamento com cerca de 60 horas de trabalho semanais. Nela, o médico atuará como um verdadeiro especialista, mas sob a supervisão de preceptores com muita experiência. Assim, poderá haver uma transmissão de conhecimento prático, além de capacitações teóricas eventuais.

Nesse tempo, na maioria das vezes, o profissional precisa se dedicar inteiramente à residência em contrapartida a uma remuneração de R$ 3.330,43. Portanto, ela não é recomendada para quem precisa de um salário maior após a formatura.

Além disso, o acesso às residências é feito por meio de processos seletivos bastante concorridos. A vantagem, aqui, seria o fato de você já conquistar o título de especialista após a residência. Por essa razão, as especializações, frequentemente, são opções melhores ou mais viáveis para quem deseja uma inserção no mercado de trabalho mais rápida.

Especializações

Também conhecidas como pós-graduação lato sensu, as especializações são cursos com carga horária diferenciada para cobrir com profundidade os principais tópicos de uma área. Ademais, elas podem incluir também uma carga horária prática supervisionada, o que pode capacitar melhor o profissional. Em alguns casos, ela pode ser suficiente para que você requeira seu https://blog.poliscursos.com.br/medicina-do-trabalho/ nas associações de classe.

Ao contrário das residências, elas são pagas pelo próprio médico, o que garante a qualidade dos cenários de teoria e prática. Também é importante escolher instituições renomadas no mercado e com um corpo docente bastante qualificado.

Qual escolher com base no seu perfil?

A escolhe entre uma dessas opções depende do seu perfil. A principal coisa que você deve saber é que elas não se excluem. Ou seja, é perfeitamente possível que você tenha feito todas as três em algum momento da sua vida. Por exemplo, alguém que tenha feito uma residência em anestesiologia poderá se aprofundar em procedimentos torácicos e cardíacos.

A pós-graduação stricto sensu é importante principalmente para a carreira acadêmica, então, é essencial para quem gosta de dar aulas e realizar pesquisas. Por sua vez, a residência é para quem quer muita prática e não tem urgência para um salário maior. Afinal, você vai trabalhar muito e não terá tempo para se dedicar a plantões.

Já a https://blog.poliscursos.com.br/medicina-do-trabalho/ é interessante para quem precisa de um curso extremamente focado, com o conhecimento voltado para a prática profissional. Além disso, é essencial para quem quer um currículo competitivo que permita uma inserção rápida e de qualidade no mercado de trabalho.

Então, se você estava com dúvida entre uma especialização ou residência, agora você já tem informações suficientes para uma melhor tomada de decisão.

Quer saber mais sobre os nossos cursos de especialização? Então, não deixe de entrar em contato com a gente e conhecer nossos cursos!

Você também pode gostar

Um comentário em “Pós-graduação, especialização ou residência: qual fazer?

Deixe um comentário