Medicina do Trabalho: conheça 4 aspectos sobre essa carreira!

7 minutos para ler

A medicina do trabalho é uma das áreas mais diversas da medicina, permitindo a atuação do profissional em várias atividades de acordo com o seu perfil. Entre as possibilidades, estão as vistorias de campo nos ambientes laborais, as consultas ambulatoriais periódicas e admissionais, a prestação de serviços de https://blog.poliscursos.com.br/medicina-do-trabalho/ públicas ou privadas, entre outros.

Além disso, você estará constantemente lidando com várias condicionantes socioeconômicas de adoecimento, o que torna a profissão muito interessante para quem busca saber mais da interface social da medicina. Quer conhecer mais sobre essa carreira? Então, acompanhe o nosso post!

1. Possibilidade de atuação

A principal organização da área é a Associação Médica de Medicina do Trabalho. Ela tem o poder de conferir o título de especialista no Brasil e também dá as orientações de boa prática profissional para que seus serviços sejam prestados de forma ética e correta. De acordo com ela, há determinadas atividades que devem ser preferencialmente exercidas pelo médico do trabalho. Confira!

Prestação de serviços e consultoria para empresas

Dentro das empresas, muitos médicos preferem atuar como celetistas nos Serviços Especializados de Engenharia de Segurança e de Medicina do Trabalho. Nesse contexto, é possível prestar serviços para outros negócios com a finalidade de elaboração de laudos especializados ou para elaboração de documentos técnicos importantes, como o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO).

Ademais, é possível realizar também consultorias dos mais diversos tipos. Por exemplo, é viável fazer uma análise ergonômica do ambiente de trabalho com a finalidade de diagnosticar potenciais problemas e insalubridades que prejudicam a saúde do trabalhador.

Para quem prefere uma carreira autônoma ou empreendedora, é possível montar também sua própria empresa de prestação de serviços e consultoria em vez de trabalhar como empregado.

Emprego público

Outra possibilidade bem interessante é a atuação no serviço público nas mais diversas atividades. Por exemplo, você pode se inserir nos quadros de normalização e fiscalização das condições de Saúde e Segurança no Trabalho (SST), as quais são desenvolvidas dentro da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia ou no Ministério Público do Trabalho. Ou seja, além de trabalhar com a prática médica, você poderá contribuir para o aprimoramento da regulamentação brasileira.

Também na rede pública, é possível desenvolver serviços de saúde, além de ações de promoção do bem-estar e prevenção de doenças laborais. Isso é bastante interessante para aquelas pessoas com um perfil de engajamento social mais aguçado.

Ainda há uma das carreiras mais desejadas pelos médicos do trabalho — a Perícia Médica da Previdência Social. Dentro do Poder Executivo, você avaliará a concessão de benefícios da Previdência Social nos seguros de Acidente do Trabalho (SAT).

Da mesma forma, os quadros do Poder Judiciário também são bastante atrativos. Nesse contexto, o perito elaborará laudos técnicos para auxiliar juízes e promotores em ações trabalhistas, cíveis e, até mesmo, criminais quando elas envolverem acidentes de trabalho.

Assessoria sindical

Outro ramo bastante promissor é a atuação nos sindicatos e em outras associações de classe. Nesse caso, as áreas de atuação são bastante diversificadas. Você poderá emitir pareceres técnicos sobre acidentes de trabalho ou de doenças laborais para auxiliar na defesa dos trabalhadores em processos judiciais e administrativos. Também poderá elaborar planos de cuidado em relação a doenças laborais.

Quem tem um perfil mais engajado poderá auxiliar os sindicatos na elaboração de orientações para empregadores e em acordos coletivos voltados para a segurança e a saúde do trabalhador.

Atividade docente

A docência tem sido um caminho cada vez mais escolhido por médicos. Afinal, com o crescimento das faculdades no país, há uma demanda muito grande por professores. As disciplinas de saúde do trabalhador são obrigatórias no currículo dos cursos de medicina, de acordo com a orientação do Ministério da Educação.

2. Remuneração

A remuneração do médico do trabalho variará bastante de acordo com uma dessas carreiras escolhidas. No setor público, o salário médio para 40 horas semanais será de R$ 8.000 a R$ 12.000 brutos. Além disso, há todas as vantagens de estabilidade, licenças para realização de mestrado e doutorado, licença-maternidade maior etc. No entanto, a progressão profissional pode ser muito mais lenta.

No setor privado, no início de carreira, a média salarial dos médicos celetistas é de R$ 8.117,23, chegando ao teto de R$ 12.267,00 no estágio mais avançado. A jornada médica para esses salários é de 28 horas semanais. Ou seja, caso você trabalhe as tradicionais 44 horas, será possível obter ganhos consideráveis.

Além disso, é uma das especialidades médicas com maior crescimento atual de demanda, cerca de 3,51% ao ano, segundo o site salario.com.br.

3. Conhecimentos necessários

A Associação Nacional de Medicina do Trabalho elaborou um documento técnico para regular todas as competências mais importantes na profissão. Por isso, é essencial que você atente para cursos de especializações que cubram todo o conteúdo exigido pela ANAMT. Para obter o título de especialista, será imprescindível que sua https://blog.poliscursos.com.br/medicina-do-trabalho/ seja certificada por essa associação.

A seguir, apresentamos as principais habilidades esperadas de um bom profissional:

  • conhecimento dos principais problemas e desafios dentro da saúde ocupacional;
  • atuação no desenvolvimento de estratégias de proteção e de promoção à saúde do trabalhador;
  • participação em processo de inovação técnica e mudanças organizacionais dentro das empresas a fim de melhorar as condições de saúde, segurança e bem-estar do trabalhador;
  • identificação de condicionantes laborais que influenciam positiva ou negativamente a saúde no trabalho;
  • planejamento e execução de programas de vigilância médica dos trabalhadores a fim de identificar riscos ocupacionais;
  • elaboração de um plano de cuidados e de prevenção tendo em vista esses riscos;
  • planejamento, gerenciamento e avaliação das atividades de um serviço de segurança, higiene e saúde no trabalho;
  • coordenação e liderança de equipes de saúde e prevenção de acidentes;
  • conhecimento de normas técnicas e éticas do exercício da profissão.

4. Perfil profissional

Normalmente, a medicina do trabalho é procurada por médicos com maior interesse nas questões sociais. Afinal, você estará o tempo todo lidando com questões bastante sensíveis para os pacientes. O processo de adoecimento ocupacional pode trazer incapacitações graves, as quais comprometem a subsistência da pessoa.

O curso da Pólis é acreditado pela ANAMT por ser um dos mais completos do mercado. Com uma carga horária de 1920 horas, além de muita teoria, você também terá muito espaço para a prática. Por essa razão, você poderá utilizá-lo para requerer seu título de especialista na entidade.

Também, nosso curso é estruturado com todas as disciplinas necessárias para que você atue com excelência na área devido a uma formação que enfatiza tanto os aspectos biológicos e psicossociais da saúde, como:

  • Legislação Trabalhista e Previdenciária;
  • Psicologia Aplicada ao Trabalho;
  • Fisiologia e Ergonomia Ocupacional etc.

Então, se você está considerando uma carreira na medicina do trabalho, deve levar esses fatores em consideração. Afinal, a remuneração deve ser compatível com seus objetivos de vida, assim como as competências a serem desenvolvidas devem estar dentro dos seus interesses. Se você tem um perfil engajado com questões sociais e jurídicas, pode ser a área perfeita para você dentro do setor da saúde.

Quer saber sobre a especialização da Pólis Cursos em medicina do trabalho e as possibilidades que ela abre? Então, entre em contato com a gente!

Você também pode gostar

3 thoughts on “Medicina do Trabalho: conheça 4 aspectos sobre essa carreira!

Deixe um comentário