4 dicas de como construir um mapa mental

3 minutos para ler

Os mapas mentais são ferramentas essenciais para visualizar alguns conceitos e temas na realização de estudos nas mais diferentes áreas. Isso porque, muitas vezes, lemos em texto algo que está exposto de forma linear, mas sua compreensão é muito mais rica em diagrama.

Com isso é possível ter uma melhor visão de temas que se correlacionam e ter uma visão mais completa do assunto. Assim, consegue enriquecer o seu aprendizado e ter insights importantes que auxiliam na sua formação profissional. E, também, pode ser um recurso interessante para ser utilizado em aulas online, por exemplo. Confira a seguir 4 dicas interessantes para construir um.

1. Defina um tema principal

Todo mapa mental possui um tema principal. Ele diz respeito a qual temática está estudando no momento. Mesmo que ele se relacione com outras áreas, é um recorte de qual ponto está focando no momento. Por exemplo, na pedagogia, metodologia ativa conversa com educação híbrida. Se você está estudando o primeiro, ele será o seu tema principal e a educação híbrida aparecerá como um assunto que conversa com ele. Isso é importante para começar. O tema principal fica no centro do seu mapa.

2. Escreva tópicos relacionados ao subtópico

Quais são os pontos importantes relacionados com o subtópico? Isso é importante para definir o que dialoga com o ponto e que não pode ser esquecido. Faça pequenos resumos. Lembre-se que é para ser curto, de fácil memorização e mostrar correlação com o tema principal.

Lembre-se que como você está hierarquizando os temas (ou seja, colocando subtópicos que dialogam com o tema principal), é importante mostrar essa diferenciação por meio do tamanho das palavras, utilizando letras ou fontes menores.

Mapa mental

3. Faça um desenho simples para cada palavra-chave

Nossa mente também memoriza facilmente imagens. Isso auxilia para que possamos recuperar uma informação perdida porque esquecemos uma palavra. Por exemplo, se você está estudando estruturas anatômicas, pode fazer um desenho dos órgãos para facilitar a memorização.

Por exemplo, se um determinado termo tem a ver com neurociência, uma forma de guardá-lo pode ser desenhando um cérebro logo abaixo do termo. Com isso, você pode até esquecer a palavra, mas ao memorizar a imagem, tornará mais fácil relembrar o tema.

4. Sequencie a ordem de agrupamentos

É importante também demonstrar a ordem de correlações dos termos. Para isso, você pode utilizar o sistema de puxar setas entre os elementos. Se há uma ordem que precisa ser seguida, às vezes no desenho com as setas isso não fique tão claro (por exemplo, se estamos falando de um passo a passo para um procedimento).

Assim, enumere de forma clara a sequência. Isso pode ser útil, inclusive, para encadeamento de ideias para um trabalho, hierarquizando a ordem argumentativa que você utilizará no trabalho. Com isso, há a visão do todo e, ao mesmo tempo, uma linearidade que permite ter maior clareza da sequência que precisa seguir.

Os mapas mentais são instrumentos muito interessantes, seja para seus próprios estudos, seja, inclusive, para levar conteúdo para sala de aula, como profissional de educação. Esperamos que este conteúdo tenha sido útil e auxilie você e auxilie em suas rotinas.

Para acompanhar outras dicas como essa, assine nossa newsletter para saber mais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário