Perícia médica: saiba mais sobre o curso e o mercado de trabalho

perícia médica
6 minutos para ler

A crescente onda de violência que o país enfrenta ao longo dos anos envolve diversos profissionais para resolução. Um deles é o perito médico, que atua como peça essencial nos processos jurídicos para que as entidades associadas possam chegar a um veredito.

Além dos casos de violência, não podemos nos esquecer da medicina do trabalho, que também visa resolver casos de acidente dos profissionais durante realização das atividades de atuação. Por fim, existem várias outras áreas que requerem uma análise do perito.

Viu só como são amplas as possibilidades de atuação? Pensando nisso, vamos abordar a seguir sobre a pós-graduação que viabiliza o trabalho do perito. Conheça mais sobre a perícia médica!

A função do perito médico

Antes de tudo vamos entender qual a função do perito nos julgamentos. De fato, cada graduação tem seu foco e os conhecimentos abordados, de modo que um juiz possa ser expert em direito, porém, não detém conhecimentos acerca de processos biológicos.

Esse aspecto é fundamental para análise de diversos casos, por isso, deve contar com profissionais capacitados para oferecer dados e informações que agreguem valor às decisões que serão tomadas.

Portanto, o trabalho do perito deve isentá-lo de envolvimento emocional com os casos. Não cabe a ele ouvir as partes envolvidas e elaborar um juízo de valor. Na verdade, o foco dele concentra-se nas evidências, que devem ser cuidadosamente coletadas e analisadas.

Por meio dos dados coletados, o perito deve elaborar um laudo que condiz com os vestígios analisados. Vale ressaltar que o conhecimento técnico envolvido é fundamental no processo. Não seriam opiniões ou pontos de vista que mudariam as evidências, por isso, há um papel de destaque para decisão do juiz.

A forma de trabalho do perito

Para oferecer o embasamento técnico, existe uma série de etapas que um perito deve cumprir. O trabalho em campo é uma delas. Conhecer o ambiente, identificar vestígios e coletar evidências representa um passo importante na análise dos fatos.

Os vestígios podem ser dos mais simples aos mais complexos. Eles podem envolver elementos associados diretamente ao crime, como munições, armas de fogo, armas brancas, entre outras. Podem também retratar aspectos biológicos, fundamental para identificação de envolvidos, como: fios de cabelo, gotículas de sangue, unhas, ossos etc.

O trabalho em campo é seguido da abordagem laboratorial. Em ambiente adequado, os dados coletados podem ser trabalhados e transformados em informações importantes. Aqui, todo tipo de conhecimento pode contribuir, seja ele bioquímico, seja de análise instrumental, seja de balística ou mesmo de aspectos físicos.

Os conhecimentos necessários

Como visto, embora a medicina seja um campo base para atuação do perito médico, existem outras áreas que podem contribuir para o laudo. Sendo assim, no curso de perito todos esses aspectos buscam ser contemplados, a fim de viabilizar o trabalho do profissional.

Então, é necessário um estudo que vai além da anatomia e fisiopatologia das doenças. Na verdade, o enfoque passa a ser a criminalística. Exemplo prático disso é a capacidade que um médico tem de identificar traumatismos causados por arma de fogo, mas será que todos sabem identificar qual arma causou aquele ferimento?

Além disso, a organização policial é tema de estudo, afinal, o profissional estará adentrando por uma área diretamente associada com a segurança e justiça. Falando nisso, também é necessário adquirir conhecimentos básicos sobre legislação e poder judiciário.

Por fim, existe uma série de técnicas que devem ser trabalhadas para diminuir os erros ou eventualidades que possam prejudicar a análise. Reações químicas, por exemplo, podem revelar conteúdo sanguíneo não percebido a olho nu e, assim, mudar completamente o curso da investigação.

O mercado de trabalho da área

O mercado de trabalho para um perito médico é amplo, podendo envolver tanto entidades públicas como também privadas. O concurso público é uma das maneiras de ingressar no ramo, por meio de prova escrita, oral e, posteriormente, um curso oferecido pela polícia.

A atuação no serviço público pode ocorrer em:

  • Instituto Médico Legal;
  • Varas Criminais e Cíveis;
  • Varas de Acidente de Trabalho;
  • Instituto Nacional do Seguro Social;
  • Segurança de Trânsito.

Portanto, vemos que um perito tem função muito além de desvendar crimes. Ele também atua em processos cotidianos, como corpo de delito, investigação em acidentes, entre outros.

Vale ressaltar um perito também pode ter o trabalho solicitado diretamente por um juiz. Assim, não há vínculo empregatício direto com a Justiça, mas sim feito um trabalho liberal de acordo com a nomeação recebida naquele caso.

Então, o mercado de trabalho é tanto público, como privado, auxiliando às melhores decisões de acordo com o laudo elaborado. Assim como pode auxiliar um juiz, também pode atuar em prol de indivíduos que lutam para provar danos sofridos.

O curso de perícia médica

Mas, afinal, como se tornar um perito médico? Antes de tudo, o profissional deve ser formado em medicina. A partir daí, ele pode procurar por uma instituição na qual seja oferecido o curso de pós-graduação em Medicina Legal e Perícias Médicas.

Como vimos, uma das possíveis atuações do perito é na área trabalhista. Neste caso, é necessária também um curso profissionalizante em Medicina do Trabalho. Com essa formação, o indivíduo adquire conhecimentos criminais, trabalhistas, administrativos e previdenciário.

Na Pólis Cursos é oferecida pós-graduação em Medicina do Trabalho e Perícia Médica. Dessa forma, o aluno será contemplado com duas formações essenciais no trabalho como perito, tudo isso sendo feito em tempo hábil.

Além de otimizar o tempo fazendo 2 cursos simultaneamente, o ensino é oferecido à distância. Portanto, as aulas podem ser assistidas no melhor horário para o aluno, seja em casa, seja no consultório. Em suma, há otimização do tempo em vários aspectos!

Ressaltamos que para ingressar no curso é preciso ser médico formado e já com CRM, que é o registro no conselho regional de medicina. O programa completo do curso tem duração de 720 horas e o ensino é à distância.

Concluímos, enfim, que a atuação do profissional é ampla, de modo que oportunidades não faltarão! Para seguir na carreira de perícia médica, busque por uma instituição reconhecida, que realize um trabalho comprometido com a capacitação dos seus alunos. Seja como médico do trabalho, seja como perito, sem dúvidas é possível agregar valor para uma sociedade mais justa.

Que tal conhecer mais sobre a Pólis Cursos? Não perca mais tempo e https://blog.poliscursos.com.br/pericia-medica/

Você também pode gostar

Deixe um comentário