4 aspectos sobre o Registro de Qualificação de Especialista!

médica com registro de qualificação de especialista
4 minutos para ler

O registro de qualificação de especialista, mais conhecido como RQE, é uma novidade relativamente recente do Conselho Federal de Medicina. Instituído em 2012, esse registro é obrigatório para que os médicos possam se denominar e se divulgar como especialistas em determinada área da medicina.

Sem portar um RQE, há uma grande risco de ser denunciado por infrações éticas tanto por colegas quanto por pacientes. Desse modo, tê-lo traz muito mais segurança e tranquilidade, além de trazer as possibilidades de avanços na carreira. Ficou interessado em saber mais sobre ele? Acompanhe!

1. Obrigatoriedade para o especialista

O RQE é obrigatório para que você possa se denominar especialista em determinada área da medicina. No entanto, ele somente pode ser requerido se houver o cumprimento de um dos seguintes requisitos:

  • conclusão de programa de residência médica devidamente registrado nos órgãos competentes; ou
  • aprovação em prova de Título de Especialista, realizada por sociedade médica competente, após comprovação de experiência prática conforme os termos do edital respectivo.

Caso contrário, mesmo que você tenha realizado pós-graduação em uma área médica, ela não pode ser usada para o anúncio de especialidade. Por exemplo, apenas concluir pós-graduação lato sensu em psiquiatria, você não pode se declarar “especialista em psiquiatria” ou “psiquiatra”. Apenas o RQE dá esse direito.

No entanto, a pós-graduação pode ser uma forma de preparação para a prova de títulos nos casos em que o profissional já estiver perto de satisfazer ou ter concluído os requisitos de experiência prática.

2. Tranquilidade

A grande vantagem do RQE é que ele dá muita tranquilidade ao médico no exercício da especialidade. Como a prática especializada sem o RQE é considerada infração ética, os médicos que atuam sem esse respaldo sofrem constantemente com receio de denúncias.

Além disso, ter concluído qualquer um dos caminhos que leva ao RQE significa ter conquistado muito conhecimento teórico e experiência prática. Desse modo, todas as suas condutas serão prescritas com muito mais segurança.

3. Remuneração

Os especialistas geralmente conquistam médias salariais muito mais elevadas do que os generalistas. Afinal, eles são muito mais cobiçados no mercado de trabalho, além de serem preferidos por pacientes particulares e de planos de saúde. Na saúde pública, o RQE é requisito para diversos concursos públicos com remuneração maior.

4. Carreira

Há várias situações em que o RQE se torna essencial para conquistar patamares mais altos na carreira:

  • os melhores planos de saúde — que pagam mais por cada consulta — exigem que os médicos conveniados tenham RQE;
  • da mesma forma, os hospitais mais renomados também exigem que todo o seu corpo clínico tenha o respaldo de um RQE, pois isso é imprescindível para que eles evitem processos judiciais e ganhem uma boa fama no mercado;
  • para quem deseja consultórios particulares, os anúncios em placas, cartões e redes sociais são fundamentais para divulgar o consultório. Sem o RQE, você estará cometendo uma infração ética caso faça divulgação de especialidade em qualquer forma física ou digital.

Portanto, o Registro de Qualificação de Especialista, além de ser uma obrigatoriedade, traz um avanço muito grande para a sua carreira. No entanto, saiba que as provas de Título de Especialista são consideradas um dos processos seletivos mais difíceis dentro da profissão médica. Nesse sentido, não deixe de investir em uma preparação sólida em uma pós-graduação médica. Em alguns casos, o estágio oferecidos nesses cursos serão suficientes para a satisfazer os requisitos práticos para prestar a prova de Título.

Você sabia de todas essas informações sobre o RQE? Não deixe de compartilhar este post nas redes sociais para que os seus colegas possam ter uma prática segura!

Você também pode gostar

Deixe um comentário